7 curiosidades sobre gestão de pessoas que você precisa saber

Tempo de leitura: 5 minutos

A gestão de pessoas vai muito além do que imaginamos. Isso porque desde o processo de recrutamento e seleção até uma demissão, por exemplo, são levados em consideração inúmeros pontos que muitas vezes nem passam pela nossa cabeça. São práticas que permitem ao RH desenvolver estratégias para selecionar as habilidades que façam o candidato ser escolhido ou até mesmo a análise de questões que envolvam a permanência ou a demissão dele.

Nesse artigo abordaremos algumas curiosidades sobre gestão de pessoas que servirão como dicas tanto para profissionais que se candidatam a vagas, quanto para profissionais da área de recursos humanos.

Se você ficou curioso, continue lendo e fique por dentro das dicas.

1 – Seleção de currículos

Os primeiros currículos selecionados pelos recrutadores geralmente são aqueles que possuem informações chave ou dão sinais de compatibilidade com as exigências da vaga.

Por exemplo, se a vaga é para Designer Gráfico, além de um portfólio bem apresentado é interessante que esse currículo seja desenvolvido de forma criativa, no qual já revele o talento do profissional, o diferenciando dos demais.

A carta de apresentação também é um recurso muito útil, que contribui na seleção dos currículos.

2 – Pretensão salarial

Estabelecer pretensão salarial no currículo sem que esteja discriminado na vaga pode ser uma barreira no momento da seleção, pois pode passar a ideia de que não haverá negociação quanto a isso. Assim como não se deve utilizar a remuneração como fator único de negociação, seja dentro da empresa ou em um processo seletivo.

É válido analisar propostas salariais, mas também é importante avaliar outros critérios da vaga ou cargo.

3 – Redes sociais e contratação

Já não é mais novidade que hoje em dia os recrutadores buscam profissionais através das redes sociais e é sempre bom reforçar que parte da seleção está em “analisar” os perfis dos candidatos. São avaliados fatores de comportamento, postura e posicionamento, visto que muitas pessoas têm como hábito expor suas vidas nas redes. Isso pode tanto valorizar quanto reduzir bastante as chances de determinado candidato ser escolhido.

Uma dica é não se expor ao extremo, utilizar as redes com moderação e pensar bem no que for publicar, pois provavelmente poderá ser observado.

4 – Reserva de candidatos

Grandes empresas que contratam com frequência, como por exemplo as de call center (central de atendimento/telemarketing), geralmente tem alta rotatividade de funcionários (turnover) ou até mesmo alta demanda na prestação de serviço. Com isso, é formado um grupo reserva de candidatos para possíveis contratações. Isso acontece, para quando surgir uma grande demanda o RH já tenha uma quantidade suficiente de profissionais aptos para suprir a necessidade de um setor.

Então, se você já participou de algum processo seletivo, fez inúmeras etapas e ainda não foi convocado, tenha calma que sua hora ainda pode chegar.

5 – Tecnologia e recrutamento

A tecnologia está cada dia mais presente no dia a dia das empresas e no setor de RH não seria diferente.

Práticas como o chat online e as videoconferências para a realização de entrevistas tem se tornado bem comuns no setor de RH e trazem vantagens tanto ao recrutador quanto ao candidato. Desse modo, não se surpreenda se um recrutador te propor uma entrevista remotamente. Isso pode otimizar tanto o tempo do recrutador quanto a disponibilidade do candidato, economizando tempo e dinheiro no deslocamento.

6 – Análise de dados e RH

Pegando um gancho no tópico anterior, é também através da tecnologia que os recrutadores analisam os dados provindos das entrevistas.

O cruzamento e análise de dados trazem ao recrutador informações úteis que determinam ou não o fechamento da vaga de acordo com o perfil do profissional. Essa análise pode apontar o nível de compatibilidade entre o aspirante e a vaga.

O que queremos salientar nesse tópico é que hoje não é mais uma obrigatoriedade gastar tempo com aplicação e correção de testes em entrevistas presenciais, bem como análise de anotações para dar a sentença acerca do preenchimento de uma vaga, tudo pode e tende a ser simplificado por meio da tecnologia.

7 – Desenvolvimento e gestão de pessoas

Além de recrutar, o Recursos Humanos visa desenvolver e preparar pessoas, equipes.

Muitas empresas hoje em dia estabelecem em sua política interna planos de carreira para os seus funcionários, com o objetivo de promover valor e crescimento para ambos.

O RH atua em duas frentes: transmitir ao candidato como é o programa de plano de carreira antes mesmo de sua entrada na empresa e também na retenção e desenvolvimento de quem já é colaborador, auxiliando seu amadurecimento e objetivando sua ascensão profissional.

Esse trabalho é feito em conjunto com os líderes, que treinam e desenvolvem seus colaboradores para que eles possam adquirir conhecimento, autonomia e assim terem mais chances de sucederem líderes ou serem promovidos, fazendo carreira na empresa.

Fazer um plano de carreira quer dizer investir nos funcionários, reter os melhores talentos e ter visão promissora a longo prazo dos negócios. É uma excelente iniciativa de algumas empresas, mas também é interessante considerar o pensamento daquele profissional que queira seguir outros caminhos, que queira encarar novos desafios em outras organizações.

Estão sempre surgindo novas maneiras de fazer gestão de pessoas e ter conhecimento delas ajuda muito no proceder ou no conduzir situações a nosso favor.

Gostou das nossas curiosidades e dicas? Compartilhe nas suas redes sociais!

Não pare por aqui, saiba mais sobre gestão de RH nos posts:  Big Data para RH e A Importância dos Indicadores de Gestão no RH

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

Receba nossa newsletter